segunda-feira, 28 de maio de 2012

Carroça no calçadão.

Uma carroça transitava tranquilamente pelo calçadão da Rua Laranjeiras, no Centro de Aracaju em pleno dia útil da semana passada.

O carroceiro recolhia entulho de um estabelecimento comercial localizado no mesmo calçadão e pelo volume do entulho muitas viagens seriam feitas com carroça no calçadão.
Pelo o visto a fiscalização da Prefeitura Municipal de Aracaju não estava atenta ao ocorrido.

Poluição: MPE discute fim do uso de sacolas plásticas

Órgão quer que comerciantes concientizem os clientes

Audiência ocorreu nesta manhã no MP (Foto: Portal Infonet)

O Ministério Público Estadual (MPE), por meio da Promotoria do Meio Ambiente e Urbanismo, discutiu nesta manhã, 28, a questão da utilização de sacolas plásticas nos supermercados da capital. A lei municipal 3.714 de 2009, que prevê a substituição de sacolas plásticas por ecológicas, parece não estar sendo cumprida pela maioria dos estabelecimentos.  Na opourtunidade, a Associação Sergipana de Supermercados (Ases), representantes de supermercados, Adema e Emsurb, firmaram um termo de cooperação.
O promotor Carlos Henrique Siqueira Ribeiro, explica que há dois anos (maio de 2010) foi proibida a utilização de sacolas plásticas nos abastecimentos. Mas, segundo ele, as redes não realizaram ações para acabar com as sacolas. , entretanto, nenhuma ação foi realizada para bani-las. “O município de Aracaju não fiscaliza essa situação e o MPE preocupado com o meio ambiente e com a sustentabilidade resolveu chamar os representantes de supermercados, Emsurb e Adema para que possamos dar efetividade a essa lei. Sempre olhando o lado do consumidor para não criara embaraços ao mesmo. Vamos tentar minimizar os danos. O consumidor poderá ter um desconto pela ausência das sacolas e os estabelecimentos devem manter caixas de fácil visualização para a população”, explica.
O presidente da Ases, João Luiz silva Oliveira, explica que a associação  irá realizar campanhas para conscientizar o consumidor. “Essa experiência já vem ocorrendo em outros estados. Vamos fazer uma campanha forte para que o consumidor não entenda como uma perda. Nós vamos usar exemplos de outros estados para conscientizar a população e dar alternativas para o cliente. Faremos uma reunião com todos os empresários do ramo para discutir a situação”, garante.

Promotor deu mais um prazo para resolver a situação (Foto: Portal Infonet)

Fiscalização e meio ambiente
Na oportunidade a Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb), não soube informar de quem seria a competência para fiscalizar o uso das sacolas plásticas nos supermercados, já que a lei não ordena. Mesmo tendo sido convocada para a audiência, a Administração Estadual do Meio Ambiente (Adema), ao ser questionada sobre a incidência de poluição do material oxibiodegradável (sacolas que se decompõe em menos tempo, porém precisam de luz e calor intensos) no solo, o órgão disse não ter conhecimento da afirmação.
Após assembleia com os empresários, a Ases, volta a discutir a questão em uma nova audiência a ser realizada no dia 18 de junho, às 10. O prazo pedido, inicialmente, pela associação para por em prática a legislação é de um ano.
Por Eliene Andrade (Fonte: http://www.infonet.com.br/)

Motorista perde controle e sai da pista.

No início da manhã do último domingo, 27, o condutor do fusca de cor azul escura perdeu o controle da direção e saiu da pista na Rodovia dos Náufragos, KM 6, no Povoado Robalo.
O motorista, além do susto, sofreu apenas uma pequena escoriação na testa. Já o passageiro nada sofreu.
O fusca apresentou apenas danos materiais.
Segundo Vadinho, morador do Mosqueiro que conduzia o veículo, ele tentou pegar um saco de compras no banco traseiro com o carro em pleno movimento e quando percebeu já estava saindo da pista e por pouco não colidiu em cheio com um poste. O contto com o poste foi apenas de raspão. Veja vídeo:
video

Esgoto corre há vários dias.


Esgoto a céu aberto corre há vários dias nas Ruas Itaporanga e Lagarto.
Caixa de esgoto da DESO encontra-se obstruída e as águas fétidas correm diuturnamente nas calhas das Ruas Itaporanga e Lagarto, em pleno Centro de Aracaju.

Aparentemente o problema foi causado pelo entupimento da tubulação de uma residência em uma caixa de coleta de esgoto da DESO, o que vem desviando todo o produto do esgoto “in natura” para o leito das vias.

Quem passa ou trabalha nas proximidades reclama do mal cheio insuportável durante todo o dia.
Até agora a DESO não providenciou o reparo, mesmo já estando há vários dias o esgoto correndo pelas ruas.

Problemas na Rua do Turista.

Há poucos dias publicamos aqui no Blog da ADCAR notícia sobre o péssimo estamo em que se encontra a fachada da Rua do Turista pelo acesso da Praça Olímpio Campos.
Outros problemas são encontrados na parte interna da Rua do Turista, o que pode contribuir para o afastamento dos freqüentadores.
Mictório "isolado".

Um dos problemas está na falta de manutenção dos sanitários. Alguns vasos e mictórios encontram-se “isolados” por falta de manutenção.
No que se refere à circulação dos visitantes, está quase que impossível transpor o emaranhado de mesas e cadeiras que são espalhadas pelos proprietários de bares e restaurantes, sem limite entre os corredores e as áreas destinadas aos estabelecimentos comerciais.
Mesas e cadeiras impedem a circulação.

Espera-se que o Governo do Estado corrija os problemas a fim de que a Rua do Turista não tenha o mesmo destino que teve a Rua 24 Horas: o abandono de lojistas e de visitantes.  

Acidente com motoneta no Centro.

Curiosos se aglomeravam ao lado do acidentado.

Mais um acidente envolvendo uma motoneta aconteceu no Centro de Aracaju. Foi no cruzamento das Ruas Lagarto e Itaporanga na tarde da última quinta-feira, 24.
Por pouco a vítima não se chocou com trilhos.

O condutor da motoneta colidiu contra a parede da esquina das duas vias. Logo chegaram agentes da SMTT e em seguida a ambulância do SAMU para prestar toda a assistência ao acidentado.
Agentes da SMTT logo chegaram ao local.

Sanitários ainda estão fechados.

Os sanitários da Travessa Deusdeth Fontes, que liga os calçadões das Ruas Laranjeiras e São Cristovão continuam fechados e causando transtornos para a população que circula naquela região e que costuma usar os sanitários públicos.
A Prefeitura Municipal de Aracaju deu início às obras de reforma e adaptação à acessibilidade dos sanitários masculino e feminino em 13 de março último com previsão de conclusão em 30 dias. Ocorre que até a presente data os sanitários, que aparentemente já estão reformados, continuam fechados.
Sanitários reformados e fechados, mesmo depois do prazo da obra.

Comerciários e, principalmente, os clientes que já estavam acostumados com o uso daqueles sanitários têm encontrado dificuldades quando estão no Centro de Aracaju, visto que não há opções de sanitários nas proximidades.
No início das obras a EMSURB teria disponibilizado sanitários químicos como alternativa, mas com a conclusão dos serviços nem os sanitários químicos nem os reformados estão atendendo.
A população espera que a obra seja entregue e que o funcionamento volte a ser o normal.

domingo, 27 de maio de 2012

Banco do Brasil fecha e causa transtorno.

O Banco do Brasil fechou a sua maior agência em Aracaju por 36 horas ininterruptas e deixou centenas de clientes sem opção no Centro de Aracaju.

Quem procurou a agência do Banco do Brasil n Praça Gal. Valadão  entre as 16h do dia 21 e as 18h do dia 22 de maio deu com a cara na porta. Um aviso afixado na vidraça e um funcionário postado em frente à entrada encaminhado aos clientes à agência da Avenida Coelho e Campos, no Bairro Santo Antonio ou da Rua Riachuelo, no Bairro São José.

Se havia a necessidade, por que teria que ser em dias úteis justamente na única agência do Centro da capital sergipana? E logo na maior agência do Banco aqui no Estado.
Aliás, o Banco do Brasil deve muita explicação aos clientes quanto à qualidade e à manutenção dos caixas eletrônicos espalhados pela cidade. Estão cada vez mais ruins.  

EMSURB limpa onde não pode.

Quem viu a EMSURB realizando serviços de capinagem e limpeza no último dia 17 no Povoado Robalo pode ter achado uma atividade normal e se quem viu é morador do local deve ter ficado feliz com a ação da Prefeitura de Aracaju.
Limpeza ilegal em acostamento.

Mas, algumas coisas precisam ser explicadas e cobradas do Poder Público Municipal. Por exemplo, a Prefeitura não tem obrigação muito menos direito de realizar serviços no acostamento de uma rodovia estadual. Outro problema: o serviço foi realizado apenas nas proximidades da Escola Tênisson Ribeiro, onde o prefeito Edvaldo Nogueira viria entregar os computadores aos alunos. E mais: várias vias do Povoado Robalo precisam do mesmo tipo de serviço onde, apesar de ser obrigação da EMSURB, o serviço não é realizado.  

Unidade de Saúde não dá exemplo.

Águas sujas ficam dias em frente ao "posto".
Desde que foi inaugurada em 2006, a atual sede da Unidade de Saúde Santa Terezinha, no Povoado Robalo, causa inundação no estacionamento sempre que chove.

Uma cobrança do Conselho Local de Saúde ao setor de logística da Secretaria Municipal de Saúde causou surpresa e curiosidade: a resposta mandada para a comunidade dava conta de que o problema não tinha solução e que as águas de chuva iriam continuar acumulando no estacionamento da Unidade de Saúde sempre que chovesse.
O acesso ao prédio é dificultado.
As chuvas que caíram nos últimos dias chegaram a inundar toda a extensão do estacionamento da Unidade de Saúde, o que dificultava até o acesso os usuários ao prédio.
O setor de logística e engenharia da Secretaria Municipal de Saúde precisa encontrar uma solução para o problema que incomoda, pode causa problemas de saúde e deixa a Unidade de Saúde com um aspecto bastante desagradável por muitos dias.  

Deso danificou via e DER não cobra.

A Companhia de Saneamento de Sergipe (DESO) – como faz costumeiramente – danificou uma extensa área ao longo da Rodovia dos Náufragos no Povoado Robalo e não recompôs como deveria ou como encontrou.

Calçadas destruídas.

A obra realizada pela DESO na Rodovia dos Náufragos foi de extensão de rede de fornecimento de água tratada.  A execução dos serviços teria sido por parte de uma empresa contratada pela DESO.
Desde o início das obras a Direção da ADCAR vem cobrando do DER, que é a autoridade legalmente reconhecida pelo Código de Trânsito Brasileiro com jurisdição sobre a via, providências junto à DESO no sentido de recompor tanto o acostamento quanto o próprio leito da rodovia estadual que vinham sendo – acostamento e leito da via – literalmente destruídos pela DESO através de sua contratada.
Caixas oferecem risco de acidentes.

Algumas poucas tampas de caixas de águas pluviais foram repostas pela DESO a pedido do DER, mas recompor o asfalto e o acostamento nunca vieram fazer.
Outro desrespeito cometido pela empresa representante da DESO na citada obra foi o fato de não ter havido o recolhimento do entulho produzido na obra. Tudo era açoitado nos terrenos lindeiros.
Calçada destrída e asfalto remendado.

Se o contrato entre a DESO e a empresa previa o pagamento pelo Governo do Estado pela realização de serviços como a recomposição da malha viária e do acostamento que foram danificados pela empresa e o serviço não foi feito da forma devida, ao pagar pelos serviços, a DESO pode ter realizado pagamentos por serviços fora da especificação contratada.
E se a DESO pagou pelo recolhimento do entulho para local adequado e a empresa deixou ao longo da Rodovia dos Náufragos, tanto no estacionamento quanto nos terrenos baldios, a DESO pagou também por um serviço contratado e não realizado adequadamente.
Asfalto da DESO de má qualidade.

Será que houve falha na fiscalização e na medição da obra? Será que a fiscalização da DESO notou que o serviço de recomposição do asfalto não foi feito como deveria? E que as calçadas e acostamentos ficaram danificados pela empresa?
Por outro lado o DER ao perceber e ao ser avisado pela Direção da ADCAR que a DESO não recompôs calçadas, acostamentos e asfalto como estavam originalmente, por que não notificou  a DESO sobre a falha?
Entulho jogado em terrenos particulares.

Ao final quem paga tudo somos nós, os contribuintes.
A DESO e o DER são órgãos do Governo do Estado e deveriam resolver logo esse problema.        

quarta-feira, 23 de maio de 2012

Prefeito entrega netbooks em escolas da Zona de Expansão

A educação pública em Aracaju vive uma fase de reestruturação como há muitos anos não se via. Em menos de um mês, o prefeito Edvaldo Nogueira já entregou mais de 6 mil netbooks aos alunos da rede municipal de ensino fundamental, através do Programa Um Computador Por Aluno (Prouca), que está inserido no Programa Escola do Futuro (E-Futuro). A ação é desenvolvida pela Prefeitura de Aracaju para promover a modernização da educação municipal através da tecnologia e inclusão digital.

Dando continuidade ao programa, o prefeito Edvaldo Nogueira distribuiu mais de mil netbooks em três escolas localizadas na Zona de Expansão da capital na tarde desta sexta, dia 18: a Emef Tenisson Ribeiro, no Robalo; a Florentino Menezes, no povoado Areia Branca; e a José Carlos Teixeira, no Mosqueiro. Recebido com festa pelos alunos, o prefeito Edvaldo Nogueira ressaltou a emoção de conseguir, durante a sua gestão, transformar consideravelmente o quadro da educação pública na capital sergipana.
Prefeito entrega computadores (Foto: Jorge Henrique)


“Os últimos dias têm sido muito felizes para mim. Depois de reformar e reconstruir dezenas de escolas antes abandonadas em vários bairros da cidade, agora seguimos modernizando o quadro de ensino. Esse projeto que trazemos às escolas não existe em cidade nenhuma do Brasil. Somos a pioneira”, afirmou o prefeito.

“Como prefeito, sempre quis fazer projetos que modificassem por completo a estrutura da educação em nossa cidade. Por isso, tenho muito a agradecer e valorizar o nosso ex-secretário da Educação, Antônio Bittencourt Junior, que foi ágil em concretizar o programa em nossa cidade. E agora a atual secretária, Josevanda Franco, dará continuidade com muita competência”, disse Edvaldo.

Realização

Para a coordenadora geral da Escola Tenisson Ribeiro, no Robalo, Enalva de Santana Santos, as pessoas precisam compreender a dinâmica do projeto sob a ótica de todos aqueles que fazem a educação municipal. “Pode ser que para algumas crianças, um netbook como esse não represente muita coisa. Mas, para nossos alunos, é a realização de um sonho, é a possibilidade de trabalhar o desenvolvimento e a aprendizagem”, afirmou a coordenadora.

Emocionada, a dona de casa Ariolina Santos, mãe do estudante Fernando da Silveira, da Emef José Carlos Teixeira, elogia a iniciativa da Prefeitura de Aracaju. “Eu fico feliz em perceber que, com esse equipamento, ele vai se sentir mais estimulado a estudar. Como ele não tem muita coordenação motora, será mais fácil para ele estudar com o computador”, disse Ariolina.   
        
Programa

Dividido em quatro etapas, o E-Futuro prevê, no primeiro momento, a aquisição de 18.090 computadores (netbooks) para os alunos do Ensino Fundamental (sendo que 10.000 serão entregues no 1º semestre deste ano e 8.090 no 2º semestre); aquisição de 200 computadores e 104 impressoras para as escolas; 160 lousas digitais para uso em sala de aula e 1.726 notebooks para os professores.

A Prefeitura Municipal de Aracaju também irá implantar infraestrutura de rede, que visa interligar 100% dos prédios administrativos e unidades escolares da Secretaria Municipal da Educação, com uso da intranet e disponibilização de serviços de internet, utilizando torres de transmissão, enlaces de rádio comunicação, fibra óptica, juntamente com equipamentos de infraestrutura interna de cada unidade.
Fotos: Jorge Henrique

segunda-feira, 21 de maio de 2012

Veteranos perdem e Diretoria vai se reunir.
O time dos Veteranos Afonso Neves, o VAN, sofreu uma sonora goleada na chuvosa manhã do último domingo no campo do Fair Play: 2 X 7. A derrota foi para o time de Dió, do Siqueira Campos.
Os gols do VAN foram assinalados por Zezinho, em gol olímpico e Bio, cobrando penalty.  O time não se houve bem. Logo nos primeiros minutos sofreu o primeiro gol numa cobrança de falta que pegou o goleiro Manoel de surpresa e que o posicionamento da barreira contribuiu para o gol do time de Dió.
Em seguida um defensor do time do Bairro Siqueira Campos pegou a bola com a mão na área, o árbitro Geninho Cabeludo marcou a penalidade e expulsou o zagueiro. Na cobrança Dadá desperdiçou e, no rebote, Liaço perdeu o gol com a trave totalmente desprotegida.

VAN em crise.
Daí em diante os gols de Dió foram saindo e as substituições feitas pelo treinador Tedas não surtiram efeito.
O time não se entendia dentro e fora de campo com discussão ríspida.
O VAN jogou e foi goleado com Manoel, Touro Feio (Firmo) (Dielson), Bio, Dadá e Fio (Cosme); Nilson, Eraldo (Beto Canário), Rogério e Liaço (Zé Biaxinho); Miolo (Lindão) e Zezinho.
O VAN não contou com a participação de Raimundo e Ninho, que estiveram no campo, mas não jogaram e de Esquerdinha, Hermínio, Augusto, Jair, Grilo, Pató e Paulinho por contusão ou por viagem.
Ao final a Direção da ADCAR, entidade à qual o VAN é ligado, marcou reunião para tratar de vários assuntos, entre eles a crise no time de veteranos.
O próximo jogo do VAN será no dia 03/06/12, às 8h, no Estádio Adolpho Rollemberg, contra o Operário do Bairro Santos Dumont.  

Casas de eventos no Robalo: quem fiscaliza?

Em cidades, estados, bairros, comunidades nos quais as autoridades não fiscalizam nem coíbem as atividades, o que é ilegal parece ser normal.
No Povoado Robalo, bem como nos demais povoados, a instalação de “estabelecimentos” ilegais ou que infringem alguma norma é a regra.
Por aqui qualquer um pode construir, fazer funcionar e ganhar dinheiro com atividades que descumpram algum tipo de legislação.
A cada dia que passa fica evidente que o papel da sociedade em denunciar todo tipo de infração é cada vez maior. Aliás, é obrigação das pessoas de bem denunciar todo e qualquer tipo de ilegalidade. Entretanto se o trabalhador, mesmo os organizados em entidades, for denunciar todas as ilegalidades existentes não haveria tempo de sobra para mais nada.
Som para acordar todo o Robalo.

Por isso existe o Poder Público em suas várias esferas. Licenciar, fiscalizar, arrecadar, interditar são atividades preponderantes exercidas pelo Poder Público a fim de manter a ordem e cumprir e fazer cumprir o conjunto de normas vigentes.
Uma das atividades ilegais que mais prolifera nos diversos bairros de Aracaju são as chamadas casas de eventos. Só no Povoado Robalo há dezenas delas. São quase todas totalmente ilegais. Poucas cumprem algumas normas e pouquíssimas são totalmente formais.
Nos últimos dias entrou em funcionamento mais uma casa de eventos no KM 6 da Rodovia dos Náufragos, onde funcionava anteriormente uma pousada. Uma série de incômodos é trazida junto com essas casas de show.
Anúncios às escâncaras.

No caso citado o primeiro e mais visível e muito perigoso é a ausência de estacionamento para os clientes. Dezenas ou centenas de veículos são estacionados nos dois acostamentos da Rodovia estadual. Seguramente o DER Sergipe não foi ouvido sobre o estabelecimento e certamente não concederia o licenciamento. É assim que ocorre nos licenciamentos em vias cuja autoridade com jurisdição é a SMTT Aracaju: a Secretária de Finanças (SEFIN) não concede alvará de funcionamento se a SMTT não anuir.
Por falar em licenciamento da SEFIN, será que o estabelecimento requereu o licenciamento? E será que obteve?
E a perturbação do sossego todas as noites dos finais de semana? Como os vizinhos da “boate” conseguem dormir, entrar e sair de casa, se locomover, falar ao telefone, assistir a TV, ouvi música em casa, estudar? E as pessoas acometidas de doenças?
Mas, com tudo isso, tem morador que não reclama. Na maioria dos casos quando se beneficia de alguma forma: tem gente que tem familiar trabalhando no local, tem gente que transforma terrenos vizinhos em estacionamento, tem gente que tem filhos (menores de idade) tomando conta de carro por toda a noite e toda madrugada. Estes não reclamam e criticam a militância de quem combate esses crimes. Somente quando deixam de ser beneficiados alguns começam a reclamar dos incômodos.
Campo Fair Play virou espaço para eventos.

A omissão do Poder Público e de alguns moradores ajudam na proliferação de estabelecimentos ilegais e que perturbam o sossego das famílias. E na maioria dos casos os criminosos usam o ditado popular contra as pessoas de bem: “os incomodados que se mudem.”.
Temos que continuam resistindo e tentando mudar o ditado para “os criminosos que se mudem.”. Na verdade não é nem se mudar. Podem se adaptar e cumprir tudo o que a legislação prevê ou mudar de ramo. Não podem é vir para os bairros ganhar dinheiro fácil descumprindo as leis.
A ADCAR continuará no seu rumo denunciando as ilegalidades e os crimes sem olhar quem os comete.


quarta-feira, 16 de maio de 2012

Após três horas de discussão, Plenário aprova PL dos ciclomotores.


Alexandra Brito e Viviane Cavalcante (site: http://www.cmaju.se.gov.br/)

A discussão sobre a regulamentação dos ciclomotores voltou à pauta da Câmara Municipal de Aracaju (CMA), na sessão desta quarta-feira, 16/5. O Projeto de Lei substitutivo nº 1/2012, ao PL nº 278/2011, apresentado pelo vereador Jony Marcos (PRB) recebeu 22 emendas e após cerca de três horas de debates, foi aprovado pela maioria dos parlamentares em 2ª e 3ª discussões e redação final, recebendo 10 votos favoráveis, cinco contrários e três ausências.

Do total de emendas apresentadas ao PL Substitutivo, 14 foram retiradas pelos seus autores, sete aprovadas e uma prejudicada. A propositura original previa, além do emplacamento das motonetas, e a regulamentação fosse feita pelo município. 
Dentre as que foram aprovadas, está a emenda nº 4, de autoria do vereador Jailton Santana (PSC) onde fica proibida a modificação da estrutura original de fábrica para aumentar a capacidade de cilindradas dos motores nas motonetas ou ciclomotores, cujos componentes devem estar certifcadas no âmbito do sistema brasileiro de avaliação, conforme regulamentação específica do Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e qualidade Insdustrial (Inmetro). Dessa forma, o proprietário responsável pelo veículo será responsalizado cível e criminalmente pela procedência do equipamento.

A emenda de número 16 foi aprovada pelo plenário da Casa Legislativa e determina que será o Poder Legislativo Municipal ficará responsável  pela cobrança das taxas mediante o recolhimento aos cofres públicos ou guia especificada e o produto da arrecadação será revertido especificamente para o incremento e melhoria no controle do trânsito de Aracaju. O vereador Danilo Segundo (PSB) apresentou as  emendas 17, 18, 19, 20 e 22 ao PL Substitutivo. A 17 diz que o Poder Executivo poderá efetuar a operacionalização e a fiscalização do serviço diretamente, por intermédio da SMTT ou mediante convênio com a autoridade de trânsito estadual.  
Já a emenda nº 18, diz que são considerados ciclomotores sujeitos ao registro e ao licenciamento anual  os veículos de duas ou três rodas provido de um motor de combustão interna cuja a cilindrada não exceda a 50 centímetros cúbicos e velocidade máxima de fabricação não exceda a 50 quilômetros por hora. A de número 22 refere-se ao prazo de 120 dias da data de sua vigência para regulamentação através do Poder Executivo entrando em vigor, então, na data de sua publicação. 

Mesmo considerando que o PL substitutivo foi prejudicado pelas emendas que recebeu, Jony Marcos disse que não retiraria a propositura. "Apesar das modificações terem prejudicado o projeto que apresentei, não o retirei porque a população pede que os ciclomotores sejam regulamentados e assim possam ser fiscalizados. Estou com a alma ferida, e apesar de ter sido aconselhado por colegas, não retirei a propositura", justificou ele.
Votação
Foram favoráveis ao projeto os vereadores Danilo Segundo (PSB), Dr. Gonzaga (PMDB), Evando Franca (PTB), Fábio Mitidieri (PSD), Ivaldo José (PSD), Karla Trindade (PCdoB), Miriam ribeiro (PSD), Rosangela Santana (PT), Robson Viana (PMDB) e Valdir Santos (PTdoB). Já os parlamentares Jailton Santana (PSC), Juvêncio Oliveira (DEM), Simone Gois (PT), Moritos Matos (PDT) e Nitinho (DEM) votaram contra.
No momento da votação, estavam ausentes no Plenário os vereadores Bertulino Menezes (PSD), Jony Marcos (PRB) e Dr. Emerson (PT). 
Fotos: Alberto Dutra

terça-feira, 15 de maio de 2012

VAN perde e Vera leva bolo.

Em jogo isolado na manhã do último domingo, os Veteranos Afonso Neves (VAN) foram derrotados pro um combinado de condomínios do Aruana pelo placar de 2 X 1.
O jogo foi bastante movimentado e equilibrado, mas o VAN não conseguia transformar as jogadas em gols.
Já o combinado dos condomínios do Aruana “ganhou” de presente os dois gols marcados pela sua equipe. No primeiro gol o ataque dos condomínios aproveitou um vacilo entre o goleiro Manoel e o zagueiro Bio e marcou. Já no segundo gol sofrido pelo VAN, um erro de posicionamento da defesa deu condições de jogo ao ataque adversário.
VAN jogu bem, mas perdeu.

O gol do VAN foi assinalado por Lindão, que entrou no intervalo e deu mais movimentação à equipe dos Veteranos Afonso Neves.
O VAN jogou e perdeu pelo placar de 2 X 1 com Manoel, Touro, Bio, Dadá (Beto Canário) e Ninho (Lindão); Firmo, Nilson, Liaço e Jair; Miolo (Cosminho) e Zezinho.
Além dos desfalques por contusão, o VAN não pôde contar com vários atletas em função do jogo ter sido confirmado no dia anterior.
Vera Cruz levou bolo.

Já o Vera Cruz, que jogaria no mesmo dia contra uma equipe da cidade baiana do Conde, aguardou até por volta do meio-dia, mas o time da Boa Terra não veio.
Mesmo conformando que estavam a caminho, quando mantido contato telefônico durante a manhã, os baianos não chegaram no Robalo, deixando revoltados dirigentes, atletas e torcedores do Vera Cruz.
Para o Vera Cruz resta a estréia no torneio que terá início no próximo final de semana no antigo clube da Telergipe.

VÍDEO: Violência no Mosqueiro. FONTE: www.atalaiaagora.com.br

value="http://www.atalaiaagora.com.br/video_player2.swf?n=12106&c=3"></param><param name="allowFullScreen" value="true"></param><param name="allowscriptaccess" value="always"></param><embed src="http://www.atalaiaagora.com.br/video_player2.swf?n=12106&c=3" type="application/x-shockwave-flash" allowscriptaccess="always" allowfullscreen="true" width="668" height="376"></embed></object>

sexta-feira, 11 de maio de 2012

Transação entre Governo e Energisa.

Nos últimos dias surgiu na imprensa sergipana a informação que dá conta de uma PPP (Parceria Público-Privada) entre o Governo de Sergipe e a empresa concessionária de energia elétrica em Sergipe.
A parceria envolve uma área de terra no prédio da Secretaria Estadual de Educação (SEED). Segundo consta a SEEL cedeu à Energisa o terreno que servirá para a construção de uma subestação e a Energisa realiza reformas no prédio da SEED.
Lagoa preservada e, ao fundo, subestação.

Certa ou errada a parceria já estaria em andamento. Entretanto há quem diga que o Poder Executivo não solicitou e, consequentemente, não obteve autorização do Poder Legislativo para realizar a parceria.
Aqui no Povoado Robalo, há mais de quatro anos a companhia de energia construiu uma subestação com rede de transmissão de energia implantada ao longo da Rodovia dos Náufragos.
A Direção Executiva da ADCAR denunciou junto à Promotoria do Meio Ambiente do Ministério Público Estadual uma série de possíveis irregularidades cometidas tanto na obra da subestação quanto na implantação da rede de transmissão de energia.
Obra invadiu faixa de domínio.

Entre as irregularidades a ADCAR apontou a ocupação de área de preservação, a ocupação da faixa “non eadificandi” da Rodovia dos Náufragos, a ocupação do acostamento da mesma rodovia e a construção da subestação em terreno pertencente ao Governo de Sergipe.
Sobre as possíveis agressões ambientais a Promotoria solicitou novas diligencias e novos documentos, dados os indícios de irregularidades.
Sobre a ocupação do acostamento, da faixa “non eadificandi”, e da faixa de domínio da Rodovia dos Náufragos, o DER/SE já havia notificado a companhia elétrica sobre o fato da obra ter sido realizada sem a devida autorização do órgão estadual.

Muito aterro em lagoa.


Sobre a construção da subestação em terreno pertencente ao Governo de Sergipe, a Energisa informou na audiência ter adquirido o terreno ao Governo de Sergipe.
Estranhando a informação, a Direção da ADCAR solicitou informações à CEHOP sobre a venda ou não de uma lagoa preservada por lei para a construção de uma obra. Muito embora a CEHOP não tenha respondido oficialmente, assim como solicitamos a informação por expediente, em audiência com o Diretor-Presidente do órgão, obtivemos a informação que de fato o Governo teria vendido a lagoa para a Energisa. A CEHOP nos informou ainda que não sabia ou não precisava saber para que a Energisa queria comprar aquela área de lagoa.
Acostamento ocupado.

A Direção Executiva da ADCAR aguarda a próxima audiência na Promotoria do Meio Ambiente para saber sobre o desenrolar dessa obra cheia de suspeitas de irregularidades.

Quatro homens fazem arrastão em residência do bairro Aruana

Os assaltantes amarram e vendaram os olhos das vítimas
Assaltantes fazem arrastão na Aruana (Foto: Arquivo Infonet)
Um casal e a filha de três meses foram visitar familiares no bairro Aruana quando o assalto aconteceu. A vítima relata que estacionou o veículo em frente à casa da mãe e sua companheira ficou conversando na calçada com uma amiga.

Dois homens se aproximaram e anunciaram o assalto. Eles empurraram as duas mulheres para dentro da casa. De acordo com a vítima mais dois homens entraram na casa e fizeram todos de reféns. Os assaltantes amarram e vendaram os olhos das vítimas agredindo com socos.

A ação foi registrada por volta das 21h de quinta-feira, 10. Os suspeitos fizeram um arrastão levando jóias, documentos, mercadorias da Mary Kary no valor de R$ 3 mil e a quantia de R$ 2 mil em dinheiro.
Os assaltes trancaram as vítimas em um quarto e levaram as chaves da casa. Além dos objetos e dinheiro, eles  conseguiram roubar uma caminhonete que pertence ao pai da vítima. Durante a fuga, os suspeitos ainda colidiram o veículo na lateral esquerda do portão e do muro. A polícia investiga o caso.

quarta-feira, 9 de maio de 2012

VÍDEO: Problemas no Bairro 17 de Março. Fonte: www.atalaiaagora.com.br

<object width="668" height="376"><param name="movie" value="http://www.atalaiaagora.com.br/video_player2.swf?n=12046&c=2"></param><param name="allowFullScreen" value="true"></param><param name="allowscriptaccess" value="always"></param><embed src="http://www.atalaiaagora.com.br/video_player2.swf?n=12046&c=2" type="application/x-shockwave-flash" allowscriptaccess="always" allowfullscreen="true" width="668" height="376"></embed></object>

segunda-feira, 7 de maio de 2012

Sucom destrói três mil fontes sonoras e consolida parceria com Secretaria de Segurança Pública

07/05/2012

Para marcar o Dia Municipal Contra a Poluição Sonora, comemorado hoje (7), a Superintendência de Controle e Ordenamento do Uso do Solo do Município (Sucom) promoveu nesta manhã a destruição de cerca de três mil equipamentos de som. O material foi apreendido durante as operações de fiscalização que a autarquia promoveu entre janeiro de 2011 e janeiro de 2012. O ato ocorreu às 10h30 em um terreno atrás do edifício Empresarial Thomé de Souza (Av. ACM), prédio em que funciona a sede da autarquia. Com a utilização de um rolo compressor, um trator e marretas, o órgão deu fim a caixas de som, tuitas, módulos e cornetas. Os equipamentos saíram do depósito da Sucom, na região dos Dois Leões, e chegaram ao local de comboio, por volta das 9h.

Antes da destruição, às 10h, o secretário de Segurança Pública, Maurício Barbosa, e o superintendente da Sucom, Cláudio Silva, concederam entrevista coletiva a respeito das operações especiais que vêm realizando, juntamente com a Polícia Militar e a Polícia Civil, para combater a poluição sonora, um dos principais vetores da criminalidade em Salvador. Em um mês e meio, as seis ações sigilosas nas áreas do Subúrbio Ferroviário e Liberdade resultaram na apreensão de 546 equipamentos sonoros e na queda de 16% no índice de homicídios e 12% no de roubos a coletivos.

Também estiveram presentes ao encontro o comandante geral da Polícia Militar, Coronel Alfredo Castro; o delegado do Departamento de Polícia Metropolitana (Depom), Adailton de Souza Adan, representando o delegado geral da Polícia Civil, Hélio Jorge da Paixão; e o delegado do Departamento de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP), Jesus Pablo Barbosa; além do vereador Geraldo Júnior, vice-líder do governo João Henrique na Câmara, representando o prefeito; e do Diretor Setorial da Câmara de Dirigentes Lojistas de Salvador (CDL), Haroldo Dias Nuñez. Aproveitando a presença das autoridades participantes das operações, Cláudio Silva agradeceu o apoio prestado ao poder público municipal. “A Sucom vem cumprindo o papel de devolver a tranquilidade da população e para isso tem contado com a polícia nas operações, que não são poucas. Juntos, estamos tirando das ruas os equipamentos que poderiam gerar criminalidade”, pontuou o gestor, enfatizando que a autarquia registra anualmente cerca de 50 mil denúncias de poluição sonora.

“Temos trabalhado na prevenção à criminalidade e combatido as aglomerações que venham a causar tumulto, o que tem relação com a poluição sonora, ligada diretamente ao uso de entorpecentes e bebidas alcoólicas. Queremos agradecer a parceria que a Sucom firmou com a Secretaria de Segurança Pública, pois dentro de uma operação nossa, já existente, a Silere, o órgão integra forças para a atuação em eventos e locais em que há a violação da lei do silêncio. A parceria com a Sucom será mantida”, disse Maurício Barbosa.

Números da Poluição Sonora – Do início do ano até agora, a Sucom já recebeu 25.508 queixas de poluição sonora e apreendeu 1.516 equipamentos sonoros. Em 2011, o saldo total foi de 68.360 queixas e aproximadamente 2.800 apreensões.