sexta-feira, 29 de junho de 2012

Acessibilidade zero.


Uma famosa clínica localizada na Rua Frei Paulo com Avenida Hermes Fontes inaugurou recentemente um luxuoso prédio para o atendimento a pacientes com doenças cardiovasculares. O prédio oferece conforto aos pacientes, tem instalações confortáveis e conta com rampa de acesso da calçada para a parte interna.


O grande problema é que a calçada do prédio teve o nível levantado em relação à calçada dos imóveis vizinhos e ao meio-feio, assim cadeirantes e até pessoas com maiores dificuldades de locomoção terão dificuldades ou nem conseguirão alcançar as rampas postas no acesso do prédio.

Ouvimos na manhã desta sexta-feira, 29, de alguns usuários da clínica que a arquiteta autora do projeto foi alertada para o problema, mas teria dito que os cadeirantes não teriam problemas pois desceriam dos veículos em frente ao prédio, o que não é regra. Além do mais não é legal, contraria a legislação urbana aumentar a altura da calçada de um loto em relação aos lotes vizinhos.

Centro Esportivo da Zona de Expansão: representantes de times visitam terreno.

Na tarde da última quinta-feira, 28, representantes dos times de futebol dos Povoados Robalo e São José visitaram o terreno onde será construído pelo Governo do Estado o Centro Esportivo da Zona de Expansão.
A visita faz parte de uma agenda estabelecida pela Secretaria de Estado do Esporte e Lazer – SEEL para o início das tratativas que buscam a construção do novo espaço de lazer.
"Donos" de times e escolinhas otimistas.
Juntamente com os representantes dos times e dirigentes da ADCAR viria ao Robalo o secretário de Esportes, Maurício Pimentel, que, por motivos de compromissos com o campeonato brasileiro de natação que se realiza em Sergipe, não pôde comparecer.
Nos próximos dias nova visita será feita pelos representantes dos times e pelo secretário Maurício Pimentel.
No dia 6 de dezembro do ano passado, a SEEL promoveu reunião na sede da Companhia de Habitação de Sergipe – CEHOP, com representantes de times e com o presidente daquela Companhia, Antonio Carlos Santos, para os primeiros acertos sobre o local.
Governo recebe times da Zona de Expansão.
Para os representantes dos times de futebol da Zona de Expansão, a reunião foi bastante proveitosa. Naquela oportunidade a CEHOP indicou o local, definiu em planta baixa a área e, conjuntamente com os times e com o secretário Maurício Pimentel, definiram os equipamentos que teriam no Centro Esportivo da Zona de Expansão.
Pelo menos um campo de futebol oficial, um campo de futebol society e uma quadra de areia para futvolei e voleibol.
Outro acerto feito entre os times e o Governo do Estado, na reunião que se realizou em 06 de dezembro do ano passado, na CEHOP, foi que enquanto a obra propriamente dita não começa, a área do campo oficial será disponibilizada para a prática das tradicionais peladas.
Reunião produtiva.
O otimismo é muito grande e a expectativa dos times é que ainda neste inverno consigam preparar a área do novo campo. Os desportistas da Zona de Expansão reconhecem que a política do Governo do Estado para o esporte e o lazer é muito importante para inserção do jovem à sociedade, afastando o risco desse jovem enveredar pelo mundo do crime e das drogas.      

SMTT “devolve” a bagunça ao Centro de Aracaju.

Quando a Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito - SMTT de Aracaju resolveu contratar consultoria da Ong mineira Rua Viva para diagnosticar os problemas da mobilidade urbana da capital sergipana, a expectativa da população cresceu, já que os problemas estão incomodando e causando muito transtorno para condutores e transeuntes.
Uma das principais medidas foram as mudanças implementadas em algumas ruas do Centro da cidade, proibindo o estacionamento nos dois lados das vias. Nas ruas Arauá, Capela, Itabaiana, Itabaianinha, Geru e Praça João XXIII as mudanças trouxeram mais tranqüilidade para todos.
Rua Geru: SMTT "devolve" a bagunça.

Ocorre que poucas semanas depois a Prefeitura volta atrás e volta a permitir o estacionamento em algumas das ruas.
É um dos exemplos que demonstram que a má política ou a politicagem vence a gestão e o planejamento.
Em ano eleitoral, um pequeno grupo de lojistas acostumados a estacionar os seus próprios veículos nas portas das lojas, reagiu às mudanças, é o prefeito Edvaldo Nogueira “devolve” a bagunça ao Centro da cidade, agradando a poucos e dificultando para a maioria da população.
E uma pergunta deve ser feita: quem paga pelo “faz/desmancha”? Como não são os comerciantes nem o prefeito Edvaldo Nogueira, são todos os contribuintes que estão pagando a consultoria da Rua Viva e pelos serviços e materiais de sinalização que são modificados em tão curto espaço de tempo.    

O serviço sujo da DESO.

Serviço mal feito pela DESO.

A Companhia de Saneamento de Sergipe – DESO fez mais uma das suas no Povoado Robalo.
Desta vez realizou serviço de manutenção em caixas subterrâneas localizadas na esquina da Rodovia dos Náufragos com a Estrada Três Porquinhos e não recuperou devidamente a pavimentação: ao contrário, deixou as caixas a um nível muito mais alto do que a via, o que vem oferecendo risco a condutores, ciclistas  e a pedestres que por ali passam.

Restaurante em canteiro em Aracaju.


O absurdo é tão antigo que parece algo normal e legal, mas quem passa pela Avenida Sete de Setembro, próximo à Avenida Gentil Tavares, nas mediações da Central de Abastecimento de Sergipe – CEASA, se depara com um restaurante muito bem instalado sobre o canteiro central de uma das principais avenidas de Aracaju, o que é uma tremenda de uma ilegalidade.
Restaurante em canteiro central em Aracaju.

A Prefeitura Municipal de Aracaju se omite na fiscalização. Como este estabelecimento há uma série de outros estabelecimentos nos leitos das vias públicas, em calçadas e em canteiros e nada é feito para coibir estes crimes.
Enquanto isso, desempregados e ambulantes são perseguidos pela EMSURB nas ruas de Aracaju.
É verdade que toda e qualquer atividade ilegal, mesmo que sejam exercidas por desempregados e ambulantes, tem que ser combatidas. O que não pode acontecer é a EMSURB não determinar a imediata retirada dos bares, lanchonetes e restaurante que ocupam leitos de vias, calçadas, praças e canteiros.    

Plano Diretor: Fórum em Defesa da Grande Aracaju inaugura "Placar dos Vereadores"

28/06/2012
Nesta quarta-feira, o Fórum em Defesa da Grande Aracaju, composto por entidades representativas da sociedade e estudiosos de gestão urbana, promoveu a inauguração do "Placar dos Vereadores".
Escrito por: Laisa Galdina

  Assessoria deComunicação  
Entidades sociais em favor da Grande Aracaju
Na tarde desta quarta-feira, 27 de junho, o Fórum em Defesa da Grande Aracaju, composto por entidades representativas da sociedade e estudiosos de gestão urbana, promoveu a inauguração do "Placar dos Vereadores", em frente à Câmara Municipal de Aracaju (CMA). O Placar será um instrumento para a população em geral e entidades sociais saberem quem são os vereadores que são a favor de Aracaju e que defendem os interesses dos seus moradores. José Firmo, representante do Fórum e da Central Única dos Trabalhadores de Sergipe (CUT/SE), explica que o placar inicial é de 19 X 0 em favor da cidade.

"Essa é a nossa forma de demonstrar ao conjunto do Poder Legislativo que estamos vigilantes aos passos dados por cada um dos vereadores de Aracaju. Se algum vereador votar contra os interesses do povo que o elegeu, o colocaremos no lado dos que prejudicam a capital sergipana, e assim, todos terão consciência de como os vereadores atuam", pontuou.

Logo após a inauguração do "Placar dos Vereadores", toda a população e representantes de movimentos e entidades sociais presentes ocuparam a galeria da CMA para assistir a votação da emenda à Lei Orgânica, de autoria do Vereador Emerson, que estabelece o índice de aproveitamento do solo de Aracaju e o limita em até 3.

No entanto, a maioria dos vereadores votou pelo adiamento da discussão, propondo que seja retomada após 45 dias, contando com o recesso. A justificativa é que eles precisam de um tempo maior para entender a discussão que gira em torno do Plano Diretor e votar com propriedade no assunto.

Para os militantes do Fórum, o dia foi decepcionante, já que os vereadores não mostraram terem uma proposta em consonância com os anseios da população aracajuana, relegando uma importante decisão para segundo plano.

“Aracaju foi uma cidade construída e ainda está em processo de expansão, sem as condições necessárias para a preservação ambiental, sem regras definidas para que a sociedade viva em uma cidade com equilíbrio”, desabafa Jozailton Nery, do Fórum.

VÍDEO: Sergipe treina para competição no Futebol de Areia. Fonte: www.g1.com.br/se

http://globoesporte.globo.com/se/videos/t/globo-esporte/v/time-de-futebol-de-areia-do-sergipe-treina-para-torneios-interestaduais/2018112/

quinta-feira, 28 de junho de 2012

VÍDEO: Votação de emenda à Lei Orgânica. Fonte: www.atalaiaagora.com.br

<object width="668" height="376"><param name="movie" value="http://www.atalaiaagora.com.br/video_player2.swf?n=12634&c=3"></param><param name="allowFullScreen" value="true"></param><param name="allowscriptaccess" value="always"></param><embed src="http://www.atalaiaagora.com.br/video_player2.swf?n=12634&c=3" type="application/x-shockwave-flash" allowscriptaccess="always" allowfullscreen="true" width="668" height="376"></embed></object>

terça-feira, 19 de junho de 2012

ARTIGO: Mitos da mobilidade urbana

                                                                               por Jorge Santana*

Com as ruas entupidas de carros, engarrafamentos gigantescos mesmo em cidades de médio porte e o transporte coletivo sempre deficiente, mobilidade urbana virou a temática da moda, sobretudo em véspera de eleição municipal, período onde se proliferam as mais falsas e inexequíveis promessas.
Que tal simplificar essa história, didaticamente? Então vamos ser cartesianos ao examinar o problema, buscando as suas causas e as possíveis soluções.
Nas economias desenvolvidas, e agora também nas emergentes, os carros sempre foram sonhos de consumo. Quanto mais acessíveis, mais consumidores se tornam felizes e exigentes proprietários de veículos. A primeira das exigências: quem tem carro quer ter o privilégio de andar em vias sem conviver com engarrafamentos e trânsito lento, daí exigir que as administrações públicas se virem para construir viadutos e novas vias, enlanguescer outras, enfim, gastar fortunas dos seus limitados orçamentos em obras cada vez mais complexas e caras.
Como esses setores da sociedade são influentes, terminam por pautar a mídia e os políticos, fazendo com que todos, como se papagaios fossem, fiquem a repetir pseudo-soluções sem se dar ao trabalho de se debruçar sobre sua efetividade.
Com a entrada em circulação de 3,5 milhões de novos veículos por ano nas cidades brasileiras, as "soluções" apresentadas para resolver o problema da mobilidade urbana equivalem a enxugar gelo: uma intervenção urbana ameniza o problema aqui, até que, pouco tempo depois, ele reaparece mais à frente.
Feita essa opção por tentar dar comodidade ao transporte individual, sacrificam-se os investimentos no transporte coletivo. No Brasil essa obtusidade é mais acentuada e eis o maior exemplo: a maior malha de metrô do país, em São Paulo, tem 74 km, enquanto Santiago do Chile, com menos da metade da população, tem 94 km. Basta dirigir um carro nas duas cidades para perceber o que significa essa diferença.
Para completar essa tragédia urbana, o lobby da indústria automobilística sempre consegue fazer com que o governo adote medidas que garantam suas vendas (sobretudo as recorrentes desonerações tributárias) sem, obviamente, afetar as abusivas margens de lucro (os carros mais caros do planeta proporcionam as maiores lucratividades). É fato que a carga tributária brasileira é estratosférica, mas reduzí-la para setores que abusam dos preços é prejudicar os potenciais beneficiários dos impostos, ou seja, a sociedade.
Há ainda outro agravante: a proliferação indiscriminada, e sob o olhar complascente dos órgãos de trânsito, de toda espécie de veículos motorizados de duas rodas, pilotados por kamikazes que ajudam a infernizar o trânsito das cidades e a engordar as estatísticas de acidentes de trânsito.
Em resumo, o modelo que adotamos no Brasil não vai resolver, sequer minimizar, a problemática da mobilidade urbana. Pior, sem investimentos no transporte coletivo, restará o amargo remédio da adoção de medidas restritivas ao livre trânsito, como os já comuns pedágios urbanos adotados em algumas metrópoles do mundo.
E por fim, mas não menos importante, recomendo poupar seus ouvidos sempre que algum político oportunista apresentar proposta mirabolante para enfrentar o pré-colapso da mobilidade urbana nas cidades brasileiras.
*engenheiro e empresário.

sábado, 16 de junho de 2012

Placar dos Vereadores será inaugurado.

As discussões sobre o plano diretor de Aracaju devem voltar à pauta da Câmara de Vereadores de Aracaju nos próximos dias. Pelo menos é o que prometem a Mesa Diretora da Casa e a relatora do plano diretor, vereadora Mirian Ribeiro.
Porém, antes da votação das emendas ao projeto de lei do plano diretor, o plenário da Câmara Municipal deverá apreciar uma emenda à Lei Orgânica Municipal de autoria do vereador Emerson Ferreira.
A emenda visa limitar em até 3 o índice de aproveitamento do solo, que atualmente é indefinido, não há limite.
A Lei Orgânica que vigora em Aracaju trata da matéria dos artigos 199 e 203 e, apesar de em determinado momento afirmar que o índice de aproveitamento do solo em Aracaju é de 3, em outros dispositivos permite que seja indefinido, o que possibilita todo e qualquer entendimento.
O índice de aproveitamento defendido por técnicos, especialistas, estudiosos e pelo próprio Ministério das Cidades é de 1. No dia 11 de outubro de 2011, a própria Câmara Municipal de Aracaju realizou oficina de capacitação para os vereadores sobre o Plano Diretor. Na oficina o palestrante, Daniel Montandon, Secretário Nacional de Programas Urbanos do Ministério das Cidades, recomendou aos vereadores que Aracaju adotasse o índice 1.
Câmara votará índice de aproveitamento (Foto: http://www.cmaju.se.gov.br/)

Militantes dos movimentos sociais que compõem o Fórum em Defesa da Grande Aracaju apresentaram proposta de emenda ao plano diretor com índice 1.
Como a indefinição do índice na Lei Orgânica se constitui um obstáculo para a determinação do índice 1 no plano diretor, o vereador Emerson Ferreira apresentou proposta de emenda limitando em até 3 o índice na lei.
Há vários meses a emenda tramita na Câmara de Vereadores. Finalmente a Mesa Diretora da Câmara promete em colocar em votação no dia 28 de junho, último dia de atividade do primeiro semestre.
O Placar dos Vereadores – O Fórum em Defesa da Grande Aracaju vem estudando e acompanhando a tramitação do plano diretor desde a revisão no Conselho Municipal de Desenvolvimento Urbano e Ambiental, o CONDURB. Agora o fórum vai por em prática o placar dos vereadores.
O placar dos vereadores foi idealizado pelo fórum com o objetivo de demonstrar que a sociedade está acompanhando o comportamento dos dezenove vereadores. A princípio o placar apresenta um escore de 19 X 0 em favor de Aracaju. O que significa que todos os vereadores estão defendendo um plano diretor bom para a cidade.
Antes da votação da emenda o placar será inaugurado em painel em frente à Câmara Municipal. Os militantes prometem manter o mesmo placar caso os vereadores continuem votando em favor das propostas que consideram boas para o crescimento da cidade.
Os vereadores que votarem contra a proposta de emenda que limita o índice de aproveitamento serão trocados de lado, passando a figurar no lado dos que prejudicam a cidade.
ENTENDA O ÍNDICE OU COEFICIENTE DE APROVEITAMENTO – O índice ou coeficiente de aproveitamento do solo é um dos parâmetros urbanos mais importantes. O índice é determinado por um número que multiplicado pelo tamanho do terreno indica o quanto pode ser construído em metros quadrados sem que o proprietário tenha que pagar ao Poder Público.
Normalmente os parâmetros urbanísticos são analisados em conjunto. Assim, o índice de aproveitamento precisa ser analisado juntamente com a taxa de ocupação, a taxa de permeabilidade, o gabarito, os recuos e afastamentos.  
O quanto mais alto é o índice de aproveitamento há maior possibilidade de haver um grande adensamento, conseqüentemente surgem os problemas de drenagem, esgoto, mobilidade, acessibilidade, entre outros.   
   



Pedestres em São Cristovão não são respeitados.

Moradores do Grande Rosa Elze, estudantes e funcionários da Universidade Federal têm reclamado muito da omissão da Prefeitura de São Cristovão na fiscalização das atividades comerciais e de serviços.
Entre as maiores irregularidades estão estacionamento em local proibido e ocupação dos passeios públicos.
Com a expansão da UFS e com o crescimento do comércio no seu entorno a quantidade de pessoas que transitam nas ruas é cada vez maior.
Oficina ocupa calçada no Rosa Elze.

O acesso da UFS mais movimentado fica de frente para o bairro Rosa Elze. Por ali milhares de pessoas entram e saem de segunda à sexta-feira.
A quantidade de restaurantes, lanchonetes, papelarias, serviços de fotocópias e Lan House é muito grande, o que faz com que muitos estudantes da UFS circulem pelas ruas do bairro.
Em quase todas as ruas são observadas irregularidades tanto de estacionamento e circulação de veículos, quanto de uso irregular dos passeios públicos.
A Prefeitura do município de São Cristovão tem o dever de fiscalizar e punir os infratores que diariamente insistem em dificultar a locomoção dos pedestres.     

Mais uma cratera.

No calçadão da Rua São Cristovão, em frente ao Edifício Jangada, há vários dias surgiu uma cratera. A cada dia que passa aumenta de diâmetro e de profundidade.

A Prefeitura de Aracaju deveria dispor de equipe de reparos e de manutenção mais atenta.
Em tempos que falam tanto sobre acessibilidade, a prática deveria estar presente como está a teoria.
Pessoas com dificuldade de locomoção, principalmente cegos, podem sofrer algum tipo de acidade em buracos como este da Rua São Cristovão.

quarta-feira, 13 de junho de 2012

Prédio despeja água na calçada.

O prédio localizado na esquina da Rua Lagarto com Maruim e que funciona como curso preparatório canalizou as águas pluviais do seu telhado para o meio do passeio público.

As calhas, tanto pela Rua Lagarto quanto pela Rua Maruim despejam as águas da chuva justamente no meio da calçada. É impossível para o pedestre que passe por ali não se molhar ou até danificar sombrinhas e guarda-chuvas.

Cabe à Prefeitura Municipal de Aracaju fiscalizar as obras executadas no município. Aí pode ter acontecido um dos dois casos: não foi uma obra autorizada ou licenciada pela prefeitura ou houve falha na análise dos projetos arquitetônicos e de engenharia.  

FM Sergipe atrapalha pedestres.

A FM Sergipe está com um studio montado no cruzamento das Ruas João Pessoa e São Cristovão. Certamente a emissora solicitou e deve ter obtido autorização da Prefeitura Municipal de Aracaju para a instalação do studio naquele local.
Studio ocupa toda largura do calçadão.

A prática nesses casos é que sempre a prefeitura, através da Emsurb, conceda a autorização. O que há de se estranhar neste caso é que o imenso studio da FM Sergipe ocupa praticamente toda largura do cruzamento dos dois calçadões.
O calçadão é um espaço urbano comercial destinado à circulação de grande quantidade de transeuntes. Em tempos de festejos, como é o caso atual, o fluxo de pessoas é muito maior.
Quase não sobra espaço para pedestres.

A sensação é que falou bom senso por parte da emissora de rádio ao idealizar um studio tão grande e por parte da PMA ao conceder a autorização (se é que houve autorização).
Em dias de chuva e com grande quantidade de pessoas circulando, a margem para a passagem dos transeuntes ficou bastante apertada e as pessoas se espremem entre o studio e as paredes das lojas ao passar pelo local.  
Estrutura exagerada.

domingo, 10 de junho de 2012

Motoristas devem ficar atentos às mudanças no trânsito

Trechos da Tancredo Neves serão interditados a partir de 2ª

 Mapa divulgado pela SMTT Aracaju

A partir da próxima segunda-feira, dia 11, o cruzamento da Avenida Tancredo Neves com Iolanda Pinto (próximo a Contorno veículos) será interditado para realização da obra do complexo viário da Avenida Tancredo Neves. A intervenção viária já começou a ser realizada pela Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT) desde sábado, 2, com a mudança do conjunto semafórico do local.
Com o fechamento deste trecho, desvios e caminhos alternativos foram estabelecidos para minimizar os transtornos do trânsito na região.  O diretor de trânsito major Paulo Paiva destaca quanto à nova sinalização que será implantada no local. “Todos os desvios serão devidamente sinalizados”, reforça Paiva, lembrando que durante o trabalho, os Agentes estarão no local para orientar o trânsito, proporcionando segurança e mobilidade.
O trecho da Tancredo Neves que leva o condutor até a Contorno Veículos ficará aberto somente para trânsito local. “Pedimos que os condutores fiquem atentos e respeitem a nova sinalização”, pontua o diretor de trânsito.
Mudanças
Para o condutor que vem do viaduto Carvalho Déda (DIA) sentido à Avenida Beira Mar, ao descer do viaduto (já na Tancredo Neves) deverá acessar o conjunto Parque dos Coqueiros (próximo ao Setransp), descer pela Rua Reginaldo Passos Pina, virar à esquerda na Rua Tereza V. Andrade, seguir pela Rua das Orquídeas, entrar à esquerda na Avenida Paulo VI, entrar à esquerda na Rua das Margaridas, seguir pela Rua Saturno, entrar à esquerda na Avenida Universo até chegar ao cruzamento da Tancredo Neves com a Maracar Veículos, onde o condutor poderá convergir à direita seguindo para a avenida Beira Mar.
O condutor de vem da Avenida Beira Mar pela Tancredo Neves para acessar o Viaduto Carvalho Déda ao chegar no cruzamento da Tancredo Neves com a Maracar Veículos deve atravessar o desvio feito na Tancredo Neves em direção ao conjunto Jardim Esperança (bairro Inácio Barbosa), descer a Rua Flamboyants, entrar à direita na Rua Lírios, seguir pela Rua N e voltar novamente para avenida Tancredo Neves, seguindo em direção ao Viaduto.
Já o condutor que vier do bairro Jardins para acessar a Avenida Beira Mar pela Tancredo Neves seguirá pela Avenida Ministro Geraldo Barreto Sobral e Iolanda Pinto normalmente e fará retorno em frente ao Hospital Primavera, entrará na rua lateral ao Hospital (via feita para servir como desvio), dobrará à direita e estará no cruzamento da Tancredo Neves com Maracar Veículos para convergir à esquerda e seguir para a Beira Mar.
Uma alternativa para o condutor que quer sair do bairro Jardins rumo à Beira Mar é seguir pela Avenida Jornalista Santos Santana (do Parque da Sementeira) por ser uma via que cruza com a Beira Mar.
Para o condutor que sair do bairro Jardins em direção ao Viaduto Carvalho Déda pela Tancredo Neves, ao chegar à avenida Iolanda Pinto, deverá fazer o retorno em frente ao Hospital Primavera e seguir pela rua da Maracar Veículos. Ao chegar à Tancredo Neves deverá pegar o desvio que intercepta a Avenida em direção ao conjunto Jardim Esperança (Inácio Barbosa), descer a Rua Flamboyants, entrar à direita na Rua Lírios, seguir pela Rua N e voltar novamente para avenida Tancredo Neves, seguindo em direção ao Viaduto.
Aquele que vem da Beira Mar e deseja acessar o Shopping Jardins pela Tancredo Neves ao chegar ao cruzamento da Tancredo Neves com a Maracar Veículos, entra à direita, desce a nova pista até chegar à Avenida Iolanda Pinto, seguindo para o Shopping da região. Neste caso, o condutor também pode optar por seguir pela Avenida Oviêdo Teixeira (avenida localizada ao lado do posto de gasolina BR da Tancredo Neves).
Fonte: Ascom SMTT

Guria ou guriatã.
Se ñão fossem as gaiolas mais gurias seriam vistas soltas.

A guria ou guriatã, também conhecida como gaturamo-verdadeiro é uma ave passeriforme da família Fringillidae. Também é conhecida pelos nomes de bonito-lindo, gaturamo-imitador, gaturamo-itê, Guiratã (nome para a fêmea, no Rio de Janeiro), guipara e gaipava (nomes atribuídos à fêmea em Santa Catarina), guriatã (Maranhão), guriatã-de-bananeira (Pernambuco), tem-tem-de-estrela e tem-tem-verdadeiro.
Aqui em Aracaju alguns espécimes são vistos com muita raridade, principalmente nos povoados da Zona Sul.
Aqui no Robalo, por exemplo, em algumas áreas ouvem-se os cantos e até se pode avistar algumas gurias.
O fato é que o desaparecimento desses pássaros está muito mais relacionado às capturas e às apreensões em cativeiro do que ao crescimento das áreas urbanas.
O gaturamo-verdadeiro mede entre 11 e 12cm e pesam cerca de 15g (macho). A espécie apresenta dimorfismo sexual: O macho tem as partes superiores azul-metálicas, uma mancha amarela na testa e as partes inferiores amarelas e a fêmea apresenta as partes superiores verde-oliváceas e as inferiores amarelo-oliváceas.
Um dos melhores imitadores. Um único macho pode se manifestar em poucos minutos na voz de 10 a 16 espécies de aves diferentes. São imitações perfeitas, mas traduzidas para sua própria força vocal reduzida. O repertório do gaturamo se torna a cópia fiel da avifauna da região em que vive.
São aves sociais, que se alimentam de frutos e consomem insetos apenas raramente.
Possui moela degenerada, ou seja, baixa capacidade de processamento mecânico dos alimentos ingeridos. O alimento é pouco aproveitado e eliminado poucos minutos após a ingestão.
Atinge a maturidade sexual com 12 meses.
Os ninhos são construídos em cavidades em troncos. Cada postura tem em média quatro ovos brancos, pintalgados de vermelho, e incubados apenas pela fêmea durante 15 dias, tendo de 2 a 3 ninhadas por temporada.
É comum em bordas de florestas, florestas de galeria, clareiras, jardins, plantações de cacau e citrinos, fruteiras em plantações, árvores densas em parques, evitando áreas abertas mais áridas. Vive aos pares ou em pequenos grupos e junta-se com freqüência a bandos mistos de aves. Além de ser muito apreciado por seu canto melodioso, o macho costuma imitar as vocalizações de uma grande variedade de espécies, como gaviões, papagaios, tucanos e gralhas.
Amazônia brasileira, a leste dos rios Negro e Madeira, no Nordeste (excetuando-se a área da caatinga), e em direção sul até o Rio Grande do Sul. Encontrado também nas Guianas, Venezuela, Paraguai e Argentina.


FONTE: http://www.wikiaves.com.br

sábado, 9 de junho de 2012

Passarinhos: sete-cores.


Aves tão lindas estão desaparecendo.

A saíra-sete-cores é uma ave passeriforme da família Thraupidae. Também conhecida como Saíra-de-bando.
Mede cerca de 13,5 cm de comprimento e pesa 18g. A fêmea é mais pálida e ao imaturo falta a cor viva do uropígio.
Frugívoro, aprecia os frutos de palmeiras, goiaba, mamão, ameixa e caju. Alimenta-se também de insetos. Costuma frequentar comedouros com frutas.
Atinge a maturidade sexual aos 12 meses. Faz um ninho tipo tigela, onde põe geralmente de 2 a 4 ovos, tendo de 2 a 3 ninhadas por estação. Os filhotes nascem após 15-17 dias.
Pode ser encontrada em todos os estratos da floresta atlântica e nas matas baixas do litoral, onde é muito frequente.

Espécie bastante comum no sudeste brasileiro. Ocorre da Bahia e Minas Gerais ao Rio Grande do Sul.
  • Federação Ornitológica de Minas Gerais, Saíra-sete-cores - Disponível em: http://www.feomg.com.br/tan_sele.htm. Acesso em 05 mai. 2009.
  • Marigo, Luiz Claudio. A fantástica mata atlântica. n. 26. 

quinta-feira, 7 de junho de 2012

Greve continua e professores realizam enterro do Governo Déda


Reunidos ontem, 6, em uma assembléia lotada, os professores da rede estadual de ensino decidiram manter a greve. Uma nova assembléia acontecerá na próxima terça-feira (12/6), às 9h.

Os professores também marcaram um grande ato simbólico, o Enterro do Governo Déda, além de diversas atividades para os próximos dias. Veja abaixo:

AGENDA DE LUTA

(8/6) Sexta, (9/6) Sábado e (10/6) Domingo - Colagem de adesivos nos pontos movimentados de Aracaju pela manhã e tarde.

11/6 - 09h - Vigília na Assembléia Legislativa a partir das 14h.

12/6 - 09h - Assembléia dos Professores da Rede Estadual no Instituto Histórico e
Geográfico em Aracaju.

12/6 - 10h - Enterro do GOVERNO DÉDA

Fonte: http://www.nenoticias.com.br/


VÍDEO: estudantes são premiados na Olimpíada Ambiental. FONTE: www.g1.com.br/se

http://g1.globo.com/se/sergipe/bom-dia-sergipe/videos/t/edicoes/v/alunos-sao-premiados-por-projetos-inscritos-na-6a-olimpiada-ambiental-em-aracaju-se/1981985/

TV Sergipe lança CD para celebrar centenário de Luiz Gonzaga

Álbum '100 anos do Rei do Baião' é lançado.
Disco conta com seis músicas que lembram vida do 'Rei do Baião'.
 A TV Sergipe lança nesta quarta-feira, dia 6, um CD para celebrar o centenário de nascimento de Luiz Gonzaga. O álbum, intitulado “100 anos do Rei do Baião”, contém seis músicas de três autores sergipanos que homenageiam o artista,  responsável por popularizar o xaxado, o baião e o xote em todo o país.

Quatro das faixas foram escritas pelo compositor Claudiano Thomaz de Aquino, o Coló. Elas são interpretadas pela dupla Zé Rozendo & Marluce, Zé Américo do Campo do Brito, Antônio Carlos du Aracaju e Erivaldo de Carira. Os dois últimos também têm letras e as interpretam no CD.
Clemilda participa do álbum (Foto Divulgação/TV Sergipe)

“A TV Sergipe sempre valoriza as tradições culturais do estado. Comemorar o centenário de Gonzaga e os festejos juninos de Sergipe também é um compromisso da emissora. Os compositores e artistas locais são valorizados neste trabalho, que reúne diversos ritmos do forró. As músicas serão divulgadas na FM Sergipe e em diversas outras ações da emissora”, explica Flávia Menezes, gerente de Marketing.

Gravado no Estúdio Três, o CD tem tiragem de duas mil unidades, que não serão comercializadas. De acordo com Flávia, todos os CDs serão distribuídos, gratuitamente, com pessoas e órgãos de cultura, além de formadores de opinião. Algumas unidades também serão alvo de promoções entre os ouvintes da FM Sergipe e internautas que acessam as redes sociais da TV Sergipe.

Faixas:

Jingle TV Sergipe
Autor: Coló / Voz: Antônio Carlos du Aracaju
Saudade Nordestina
Autor: Coló / Voz: Antônio Carlos du Aracaju
Centenário Gonzagão
Autor/voz: Erivaldo de Carira
Festas Juninas de Outrora
Autor: Coló / Voz: Zé Rozendo & Marluce
Os folguedos do sertão
Autor: Coló / Voz: Zé Américo de Campo do Brito
Luiz Gonzaga não morreu
Autor/voz: Antônio Carlos du Aracaju
 


Prefeito sanciona lei dos ciclomotores

07/06/2012 09:27 Fonte: http://www.atalaiaagora.com.br/
O prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, sancionou na tarde dessa quarta-feira (06) em seu gabinete, a Lei de nº 4.196 que regulamenta a utilização de veículos ciclomotores no município de Aracaju. Aprovada pela Câmara Municipal de Vereadores, a Lei proíbe a modificação da estrutura original de fábrica para aumentar a potência dos motores nas motonetas ou ciclomotores e passa a exigir licenciamento anual desse tipo de veículo.
O chefe do executivo municipal esclareceu que e a Prefeitura Municipal, por meio da Secretaria de Governo com a Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT), montou um grupo de trabalho que está realizando estudos sobre o assunto para que se encontre a melhor forma de regulamentação desses veículos.
"Vamos agora nos concentrar em pensar como será realizada a regulamentação, tanto do ponto de vista de como será o licenciamento, como do ponto de vista das taxas que serão cobradas. A minha ideia é de que sejam taxas baixas, proporcionais ao valor do veículo. Estamos estudando também a questão da habilitação, que é um outro aspecto que precisa ser regulamentado", enfatizou Edvaldo.
Acidentes
Para o prefeito, os ciclomotores se transformaram em um problema  de saúde pública. "Aumentou o número de acidentes de trânsito em Aracaju e a grande maioria das vítimas são os jovens. É ainda um problema de segurança porque as oficinas estão envenenando essas motonetas e elas ultrapassam seu limite de velocidade. Quando há um acidente, você não tem como saber quem é o responsável porque não há legalização. Outro problema é que quando alguém rouba uma motoneta, a polícia não tem como ir atrás porque o veículo não é licenciado", disse.
O secretário municipal de Governo, Lucas Fialho, explica que a regulamentação dos ciclomotores é responsabilidade de ordem municipal, delegada pelo Código de Transito Brasileiro. "Aracaju é uma das primeiras capitais a regulamentar os ciclomotores, só que a expertise para colocar isso em prática não é tão simples e por isso mesmo que a lei dá um prazo de 120 dias para que a gente faça um estudo mais pormenorizado e para que possamos pensar na possibilidade de fazer um convênio com o Detran para que possamos cuidar desse problema da maneira mais rápida possível", destacou.
Ciclomotores
São considerados ciclomotores sujeitos ao registro e ao licenciamento anual os veículos de duas ou três rodas provido de um motor de combustão interna cuja a cilindrada não exceda a 50 centímetros cúbicos (3,05 polegadas cúbicas) e velocidade máxima de fabricação não exceda a 50 quilômetros por hora. Eles passam a ser identificados por meio de placa traseira, lacrada em sua estrutura, obedecidas as especificações e modelos estabelecidos pelo Conselho Nacional de Trânsito - Contran.